Motorola Atrix 4G: é smartphone ou notebook?

Motorola Atrix4G
Consumer Electronic Show 2011, que acontece anualmente em Las Vegas, EUA, continua sendo palco para fabricantes de celulares exibirem suas mais recentes inovações no campo dos dispositivos móveis inteligentes.

A Motorola, inventora do celular, resolveu se reinventar e trouxe para a CES 2011 o seu Atrix 4G. Mais um smartphone com sistema operacional Android e, pasmem, um processador dual-core de 1GHz . Isso mesmo, um smartphone com um processador mais potente do que o meu netbook!

O Atrix 4G vem com duas câmeras digitais,  memória RAM de 1 GB  [aham!], 48GB de armazenamento (16GB internos e cartão de 32GB) e reconhecimento biométrico por impressões digitais  [como seu antecessor, o Motorola Milestone™], tecnologia 4G [ainda não disponível no Brasil], acesso Wi-Fi e possibilidade de conexão via dock station com portas USB e uma HDMI, permitindo conexão a um teclado, mouse e monitor [o smartphone funciona como um notebook].

O Motorola Atrix 4G será fabricado no Brasil, mas ainda sem data para lançamento. Veja um vídeo de apresentação do smartphone da Motorola na CES 2011 clicando aqui e aqui.

[foto: divulgação]

LG Optimus Black: o smartphone mais fino do mundo

A LG  apresentou na Consumer Electronic Show 2011, em Las Vegas, a próxima geração em design de smartphone. Trata-se do Optimus Black, o smartphone mais fino do mundo, de acordo com a própria LG [o aparalho mede 9,2 milímetros de espessura].

O LG Optimus Black vem com sistema operacional nativo Android versão 2.2, tecnologia Wi-Fi Direct™ [conexão Wi-Fi entre outros dispositivos], câmera de 2 megapixel , tela LCD de 4 polegadas sensível ao toque e tecnologia NOVA™ [que permite a visibilidade do smartphone tanto em ambientes fechados ou em claridade extremas.

O LG Black Optimus será lançado mundialmente no primeiro semestre de 2011.

[fotos: divulgação]

A Nova Onda dos Leitores Digitais [yes, we can!]

La fora eles têm o Kindle da Amazon,  o iPad da Apple, os e-readers da Sony, entre tantos outros. Aqui, em terras brasileiras, não tínhamos nenhum exemplar original dessa tecnologia. Não tínhamos, eu disse [yes, we can!].

No início do mês, a Positivo anunciou o lançamento para agosto do Positivo Alfa, seu primeiro modelo de leitor digital com capacidade para armazenar até 2 gigas ou aproximadamente 1,5 mil livros.

O Alfa que terá preço aproximado de R$ 750,00, virá com o Linux instalado como sistema operacional e terá as seguintes dimensões:  8,9 milímetros de espessura, 17 centímetros de altura e 12,4 de largura, peso de 240 gramas  e tela de seis polegadas sensível ao toque. Uma falha é o leitor não ter uma conexão wi-fi e sim usb para os downloads  dos livros [ainda não entendi o motivo] .

Imagino o filão que é será o mercado dos leitores digitais no Brasil. Pois bem, antes do Alfa, bem antes, mesmo,  foi anunciado em  2008 o Mix Leitor D para a indústria nacional de leitores digitais.  Direcionado ao aprendizado e com tecnologia de software 100% nacional e com patente requerida e previsão de lançamento para o segundo semestre de 2010.

Ao contrário do seu concorrente,  ele vem com teclado QWERTY. Já a  tela possui a mesma dimensão, de seis polegadas [em 16 níveis de cinza e resolução de 800 x 600] e memória de 2 gigas também. Ele pesa um pouquinho mais; 300 gramas. Ambos os leitores suportam MicroSD Card e tem um custo final de R$ 990,00.

Agora, o Mix Leitor D suporta mais formatos de leitura do que o Alfa, pois ler qualquer tipo de formato de texto [pdf , txt,  epub,  html,  prc,  chm e mobi], música [mp3, wma e wav] e  imagens [jpg, bmp, gif e png], além de poder ser conectado a uma rede wi-fi.

Fica visível que o projeto do Mix Leitor D é bem mais interessante do que o do Alfa, já que ele é todo voltado para a educação e já tem até uma estrutura esperando o seu lançamento, vide o Clube Mix Leitor [www.clubemixleitor.com.b r] ou mesmo o site do produto/projeto [www.leitord.com.br com].

Quem poderá ganhar no futuro será o consumidor desse tipo de gadget digital, pois a concorrência é sempre saudável no tocante ao barateamento e inovações, tais como tela colorida e browser de navegação e leitor de e-mail.

Tanto o Alfa como  Mix Leitor D são precursores de um nicho cada vez mais em expansão que é o mercado dedicado à leitura de livros eletrônicos. O Brasil ainda engatinha, mas isso é uma questão de tempo e cultura de inclusão digital pela leitura através desses dispositivos.

Tudo de bom do que rola por aí sobre TI – Tecnologias da Informação